quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

18º Capitulo: "Eu matei uma pessoa"

Aguardei por algum tipo de resposta por parte do Ezequiel, mas nada... ele não movimentou um único músculo do seu corpo.
A Ayelen voltou da cozinha com um tabuleiro nas mãos.
- Pedi-lhe que se sentasse, mas não consegui nada. 
- Temos de ir com calma... - e nisto o Ezequiel levanta o seu tronco, ficando sentado na cama - filho... - a Ayelen pousou o tabuleiro em cima da cama e foi junto do Ezequiel para lhe beijar a testa de seguida.
- Será que ele vai comer alguma coisa? 
- Vamos tentar.
Peguei no prato da sopa e comecei a pedir ao Ezequiel que me fosse ajudando. Ele acabou por comer alguma coisa, o que já não foi nada mau. Depois de comer, voltou a deitar-se e eu fui com a Ayelen até ao andar debaixo para ligar à minha mãe:
"- Filha! Então o que é que se passou com o Ezequiel?" - perguntou ela assim que atendeu a chamada.
- Ai mãe... ele está em estado de choque. Tentaram assaltar-lhe a casa ontem à noite e ele acabou por confrontar o assaltante e como o assaltante tinha uma pistola... o Ezequiel disparou sobre ele. 
"- Ai... coitado. Nem consigo imaginar como seria... e a família dele? Como está?"
- Estão mais ou menos... são positivos, mas...
"- O que, amor?"
- O Ezequiel parece estar dependente de mim... e eu não sei, mas tenho medo de não conseguir ser o suficiente para ele, para a família dele e... para mim. Eu não sei se aguento continuar a vê-lo assim. 
"- Filha, é claro que és mais que suficiente. Se ele te quer ao pé dele, é ao pé dele que tens de estar... e se tu não te aguentares tens-me a mim."
- Obrigada mãe... olha, eu só capaz de passar cá hoje a noite e o dia de amanhã.
"- Claro! Fica sim e apoia muito o Ezequiel... olha, é verdade, já tratei de tudo com o cão. É teu."
- A serio? Obrigada mãe... como é que ele está?
"- Está óptimo, mas agora não te preocupes com nada. Só com o Ezequiel e contigo."
- Obrigada mãe... vou desligar. Vou ver como é que ele está. 
"- Vai, vai lá. Manda muita força à família."
- Será entregue. Beijinho mãe.
"- Beijinhos meu amor."
Desliguei a chamada e fui ter com a Ayelen à cozinha.
- A minha mãe manda-lhe muita força neste momento. 
- Agradece-lhe por mim querida. 
- Não tem de agradecer nada - fui ter com ela e dei-lhe um abraço.
- Será que o Ezequiel adormeceu?
- Pode ser que sim... vamos lá ver.
A Ayelen passou à minha frente e eu segui-a.
Chegando à sala o nosso espanto não poderia ser maior. O Ezequiel vinha a descer as escadas.
Vinha desnorteado... estava com um ponto fixo no olhar e cambaleava ao andar. Passou pela mãe sem nada lhe fazer e/ou dizer. . . veio até junto de mim e, devido à nossa acentuada diferença de alturas, curvou-se, enterrando a sua face no meu pescoço e abraçou-me.
- Não me deixes - falou para de seguida eu começar a sentir o meu pescoço húmido... ele estava a chorar. Passei-lhe com as minhas mãos ao longo das suas costas e pousei-as no fundo das mesmas.
- Eu estou aqui meu amor... estou aqui para ti - ele não me largava e eu também não o deixei. A mãe dele acabou por se aproximar, colocou uma das suas mãos nas costas dele e deu-lhe um beijo.
- Porque não te sentas ali no sofá, Ezequiel? - ele abanou negativamente com a cabeça, continuando agarrado a mim.
- E se eu me sentar contigo? - perguntei-lhe, para que pudesse ficar mais confortável.
Ele olhou-me e, agarrando-me pela mão, começou a caminhar para o sofá. Ficámos os dois sentados lado a lado, com ele a colocar a sua cabeça no meu ombro e entrelaçando a mão dele com a minha. A Ayelen sentou-se à nossa frente e sorria.
- Nota-se perfeitamente que só lhe estás a fazer bem.
- Só quero que ele volte a ser o nosso Ezequiel rapidamente.
- E vai voltar... só o já responder às nossas perguntas é fantástico. 
- Acha que... não sei, talvez fosse melhor ficar cá à noite? 
- Claro! É melhor sim... acho que era capaz de ser bom para ele. 
Ficamos as duas a falar e o Ezequiel ia-se movendo como que a pedir carinho. Entretanto chegaram a casa os irmãos e o pai do Ezequiel. Os meninos ficaram super felizes por ver o irmão sentado na sala, mas perceberam que ele ainda não estava de volta. A Floréncia sentou-se ao meu colo e o Ignácio ao lado do Ezequiel e deram-lhe muitos miminhos.
- Estou a ver que se conseguiu um avanço... - falou o pai do Ezequiel.
- A presença da Ana despertou o interior do Ezequiel, Juan - comentou a Ayelen.
- É muito bom saber isso.

Naquela noite:
Passamos o resto do dia entre falarmos sobre nós e dar carinho ao Ezequiel
Acabamos por jantar todos na sala de jantar, incluindo mi hombre. Depois de jantarmos ajudei a Ayelen a arrumar a cozinha enquanto que o pai do Ezequiel o levou para o quarto.
Depois de estar tudo arrumado, despedi-me da Ayelen e dos meninos e fui para o quarto.
Quando lá cheguei o Ezequiel já estava deitado sobre os lençóis, apenas em boxers uma vez que estava uma noite super quente de verão.
Abri o roupeiro dele e saquei de lá uma camisola e uns calções dele para vestir. Quando estava pronta deitei-me ao lado dele. De imediato chegou-se para junto de mim... como se fosse o seu iman.
Apesar do imenso calor que se fazia sentir, permanecemos completamente agarrados um ao outro.
Ele ainda estava super acordado e olhava-me.
- Podes dormir amor. Quando acordares estarei aqui.
Ele encostou a sua cabeça ao meu peito e passado algum tempo ele acabou por adormecer e eu fiz o mesmo.

-  -  -  -  -

Sentia o Ezequiel super agitado na cama.
Abri os olhou e ele estava a dormir, mas deveria estar a ter um pesadelo. Fazia uns barulhos estranhos e chorava.
Coloquei-me de joelhos ao pé dele e acabei por acordá-lo... não o iria deixar continuar naquele sofrimento. Ele assim que abriu os olhos fixou-os nos meus continuando a chorar.
- Eu estou aqui... foi só um mau sonho amor. 
- Ana... - ele sentou-se na cama e puxou-me para ele, abraçando-me - eu matei uma pessoa. 
Eu olhei-o e o seu olhar estava diferente. Estava ali o meu Ezequiel... ele chorava e os seus olhos estavam brilhantes e tristes.
- Ezequiel... - decidi tentar desenvolver uma conversa com ele - não poderias ser tu a morrer.
- Mas... - ele estava ali e queria falar comigo.
- Amor... - pousei-lhe a minha mão junto do seu coração, estava acelerado - era uma pessoa má e estava a fazer-te mal... eu faria o mesmo. 
- Fazias mesmo? 
- Sim... e sabes que mais? Foste muito corajoso. 
Ele voltou a abraçar-me e parou de chorar... comecei a temer que tivesse desligado outra vez.
- Obrigado - disse ele, aliviando-me.
- Porque me agradeces? 
- Por seres minha... pelo dia de hoje. Sei que estarei ligado a ti até ao fim da minha vida e se não fosses tu... quando te vi hoje... uma parte de mim queria ter conseguido chorar logo, falar contigo... abraçar-te. Mas havia como que uma parede entre mim e tudo o resto... senti-me tão sozinho. 
- Ei... shiu - coloquei as minhas mãos na sua face - não estás nem nunca vais estar sozinho, ouviste? E não me tens de agradecer de nada... eu só te queria de volta. Quero-te aqui, quero que sejas o meu Ezequiel... eu sei que os próximos dias vão ser difíceis  mas se no fim de tudo voltares a ser o mesmo é só por isso que espero. 
- Eu amo-te. 
- E eu amo-te a ti - o Ezequiel aproximou-se de mim e deu-me um beijo nos lábios - vamos descansar agora? 
- Vamos tentar... - eu sai do colo dele e deitei-me a seu lado, ficando muito aconchegada nele, e preparei-me para voltar a adormecer.
O Ezequiel deu-me mais um beijo nos lábios, aproximou-se ainda mais de mim e acabamos por adormecer.

Na manha seguinte: 
O resto da noite foi tranquila para o Ezequiel. Eu ainda acordei algumas vezes, quando ele se mexia, mas ele estava sempre a dormir tranquilamente. Não sabia ao certo que horas eram mas acabei por acordar quando me apercebi que era manha.
Abri os olhos e comecei a sentir o meu coração bater tão aceleradamente e parecia que me ir sair pela boca. Comecei a ficar desesperada e sem saber para que sitio ir.

9 comentários:

  1. Adorei, adorei adorei (;

    Não sei o que se passou para a Ana ficar assim, mas espero que nao seja nad com o Garay ;/

    Podias postar outro nao? *.*

    Beijinho

    Nii'i

    ResponderEliminar
  2. Então mas o que se passou para a Ana ficar assim??? O Garay desapareceu foi???

    Quero mais!!!

    Bjs

    Mari

    ResponderEliminar
  3. Ai Ai! O que é que aconteceu à Ana??
    Não há mais?? Queria...
    Adorei!!
    :)

    ResponderEliminar
  4. isto está a ficar cada vez mais interessante

    continua sff

    ResponderEliminar
  5. fabuloso...

    quero mais... tou super curiosa para ver o proximo...

    continua...

    ResponderEliminar
  6. Olá!
    Finalmente o Ezequiel de volta! O amor é mesmo poderoso!
    Mas bem que podias ter escrito mais tres ou quatro paragrafos! Quero mesmo saber o que vai acontecer!!!!
    Escreve muito muito rapido! Tipo agora mesmo! xD

    Beijo
    Ana

    ResponderEliminar
  7. ehh ehh pode soar uma beca estranho, mas eu adoro a actual dependência k o Ezi tem pela Ana =P
    PARA ONDE É QUE ELE FOI, JÁ AGORA?!

    ResponderEliminar
  8. Amei <3
    Mais, por favor...
    Onde é que está o Ezequiel?
    Continua, e rapidinho...
    Beijinhos :*

    ResponderEliminar
  9. Então que acordar é este???
    O próximo rápido por favor!!

    Bjokinhas
    Mariaa

    ResponderEliminar