quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

30º Capitulo: Invitado

- Vais explicar-me, agora, o que é que estamos aqui a fazer? – Perguntei ao Ezequiel quando chegamos a uma casa, mesmo no centro de Madrid.
- Viemos celebrar o teu aniversário.
- Aqui?
- Sim. Vamos entrar – dirigimo-nos para a tal casa e o Ezequiel tocou à campainha.
Pouco depois uma rapariga linda nos abre a porta. Era a Tamara.
- Feliz Cumpleaños guapa! – Disse ela, abraçando-me – muitas felicidades.
- Obrigada.
- Entrem – a Tamara deu-nos licença e quando chegámos à sala…o meu espanto não poderia ser maior! É que não podia mesmo.
Estavam lá a minha tia Paqui, a minha prima Mirian e a filha, Daniela. Estava também a Mariza, e o Gonzalo Higuain.
- Feliz Cumple!! – eles estavam todos animados e cumprimentaram-me de seguida. Comecei numa ponta e terminei na outra, mas cumprimentei-os a todos.
Antes que se servisse o jantar, ficamos todos um pouco à conversa. Contudo…sentia falta do meu primo. O Sergio não tinha vindo…e ele não estava com jogos, nem estágios…estava mesmo chateado com o Ezequiel…à um ano.
Estava sentada ao lado da minha titi. Estávamos a falar do meu bebé e de como eu me andava a sentir…mas…tinha a necessidade de lhe perguntar…aquilo que realmente me interessava.
- Titi…o Sergio? – A minha tia, uma mulher linda e cheia de felicidade, ficou cabisbaixa…mas sorriu-me.
- O teu primo…ele daqui a pouco liga-te.
- Mas…porque é que ele não veio?
- Sabes como é o feitio do teu primo…
- Sei… - e nisto o meu telemóvel toca. Olhei para o visor…era ele – e já devia estar a ficar com as orelhas quentes. Eu já volto titi.
Levantei-me indo na direcção da varanda da casa da Tamara. Atendi a chamada e o Sergio falou:
“- Feliz cumple, pequeña!”
- Gracias… posso saber porque não vieste com a Mariza ao jantar?
“- Acho que fazes um pouco de noção do porque da minha razão para não ir. Eu peço desculpa…mas és demasiado importante para te fazer sofrer no teu dia de anos, com actos que possa ter com o teu namorado.”
- Sergio…
“- Eu peço imensa desculpa pequeña…mas eu não consigo. Há um ano que não vejo o Ezequiel e que não falo com ele…e…não queria que o teu dia se estragasse por causa de nós.”
- Estás a estragá-lo na mesma…eu já te pedi imensas vezes para que tivessem os dois uma conversa. Tu e o Ezequiel precisam disso. E eu também preciso que os dois homens mais importantes da minha vida se dêem bem neste momento das nossas vidas porra! Tu vais casar daqui a dois dias, convidaste-me para ser a tua madrinha…o mínimo que podias ter feito era mandar um convite dirigido à minha família…e não a mim e à minha mãe. Dá-lhe uma oportunidade de falar contigo. E dá-me uma oportunidade de vos ter aos dois bem.
“- Eu sei pequeña…mas quando me apercebi do erro no convite já tinha sido enviado…é claro que é dirigido à tua família. Quero-te cá, com a tua mãe, o meu sobrinho e o pai dele…”

(Ezequiel)
Dei pela falta da Ana na sala. Pensei que tivesse ido à casa de banho, mas quando perguntei à tia dela onde ela tinha ido, a senhora respondeu-me que estava ao telemóvel na varanda.
Encaminhei-me até lá e apanhei a conversa a meio, mas bastou-me ouvir aquele bocadinho para saber que ela estava a falar com o primo:
- …mandar um convite dirigido à minha família…e não a mim e à minha mãe. Dá-lhe uma oportunidade de falar contigo. E dá-me uma oportunidade de vos ter aos dois bem.
O Sergio deveria estar a responder-lhe algo do outro lado da linha, mas eu avancei e coloquei-me ao lado da mulher da minha vida.
Ela olhou-me, mas voltou a fixar o olhar na lua…como estava perfeita naquela noite quente de Agosto.
- Queres que fale com ele? – Perguntei-lhe.
- Não é ninguém – respondeu ela…mas à chamada, fazendo-me sinal para que saísse dali. Se há coisa que eu mais quero é que a Ana saiba que eu quero muito resolver as coisas com o primo dela. Ao fim ao cabo…ele só a está a proteger…mas da pior maneira.
Agarrei no telemóvel da Ana e comecei a falar com o Sergio:
- Sergio…é o Ezequiel. Queria que soubesses que é muito importante para a Ana que as coisas entre nós se resolvam…eu quero-o, mas preciso que tu sejas homem e estejas disposto ao mesmo. Quando quiseres falar é só marcar. Eu posso vir a Madrid e tu também deverás poder ir a Lisboa.
“- Podes fazer o favor de passar o telemóvel à minha prima?” a serio? Tudo bem. Passei o telemóvel à Ana.
- Eu tentei… - voltei para a sala e sentei-me no sofá ao lado do Gonzalo.
- Que se passa, mano?
- É o Sergio.
- O primo da Ana?
- Sim.
- Que se passa?
- Epa…ele está sem me falar à um ano…desde que…
- Sim.
- E hoje faltou a este jantar por eu estar cá…de certeza!
- Mas…que é que lhe deu pela cabeça?
- Ele só a quer proteger…sei disso. E sei que se ele viesse hoje, de certeza que a conversa não ia ser bonita e acabávamos por estragar o jantar à Ana…mas ele assim também o está a fazer.

(Ana)
Depois das palavras do Ezequiel para o Sergio…eu continuei a falar com o meu primo.
- Que é que lhe respondes-te?
“- Pedi-lhe para te passar o telemóvel…isto não é um conversa para se ter assim.”
- Sergio! Ele só quer falar numa boa contigo!
“- Eu sei Ana…e eu também. Mas prefiro faze-lo cara a cara. Como ele disse temos de ser homens para faze-lo.”
- Vocês são tão iguais um ao outro! Que irritação!
“- Tem lá calma contigo e com o meu sobrinho!”
- Até nisso! Vocês os dois querem que seja menino!
O Sergio fez silêncio…mas foi ele quem retomou a conversa:
“- Como é que ele está?”
- O Ezequiel?
“- Não! O bebé!”
- Está bem…quer dizer…está a resmungar porque o tio não está cá.
“- Diz ao meu pimpolho que o tio vai estar com ele daqui a dois dias. E que a mãe dele é uma tonta por mete-lo no meio disto tudo”
- E a mãe dele diz que não é tonta…o tio dele é que é.
“- Tem a quem sair.”
Desmachamo-nos os dois a rir.
- Ana? – Chamou a minha tia.
“- É impressão minha ou ouvi a voz da mulher mais linda do universo?”
- Não. Não é impressão tua. A minha titi linda está mesmo a chamar-me. É para ir jantar.
“- Vai lá então pequeña. Passa bem o resto do dia. Espero por ti, pelo meu pimpolho, pela tua mãe…e pelo Ezequiel no meu casamento.”
- Obrigada Sergio. Podes contar connosco. Besos cariño.
“- Besos pequeña”
Desliguei a chamada e fui com a minha tia até ao interior da casa.
Encaminhamo-nos para a sala de jantar, mas antes ainda apanhei o Ezequiel pelo caminho. Agarrei-me a ele e perguntei:
- Aceitas ser o acompanhante da tua mulher e do teu filho no casamento do seu primo?
O Ezequiel parou e olhou para mim.
- Porque perguntas isso? Ele não me convidou…
- Enganas-te. O Sergio quer-te lá. Vens comigo?
- Quer?
- Sim.
- A serio?
- Epa! Sim! Vens ou não!?
- Vou! Vou! Claro que vou!

7 comentários:

  1. HUM! Conversas muito interessantes ao telemóvel!
    Não sei porquê, mas tenho a sensação que os problemas de comunicação entre o Eze e o Sergio se irão resolver daqui a dois dias ^^
    Espero que estes dois dias passem rapidinho e, que o próximo capítulo seja igualmente breve =D
    Jinhs <3

    ResponderEliminar
  2. Adorei!
    Espero que esses dois façam as pazes! Casmurros!
    ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. E o resto??
    Que venha o proximo que quero ver esse reencontro entre o Sergio e o Ezequiel!
    Bjokinhas
    Mariaa

    ResponderEliminar
  4. Olha quero o resto :P

    Bjs

    Mari

    ResponderEliminar
  5. fantastico...

    quero mais... tou super curiosa para ver o proximo...

    continua...

    ResponderEliminar
  6. Olá!
    Casmurros!!!! Iguaizinhos mesmo!
    Juro que me ri nesta parte:

    « “- Como é que ele está?”
    - O Ezequiel?
    “- Não! O bebé!”»

    ahahahahahah
    Agora so espero que o casamento nao corra mal, bem pelo contrario! Que aqueles dois se acertem DE UMA VEZ!

    Venha daí o proximo!

    Beijo
    Ana

    ResponderEliminar